Foto: Lenadro Mello Fotografia
Foto: Leandro Mello Fotografia
Depois de cinco temporadas defendendo a equipe bauruense, Fernando Fischer irá respirar novos ares.

TEMPORADA 2014/2015:
FERNANDO FISCHER DEIXA BAURU APÓS 5 ANOS

Após a eliminação do Novo Basquete Brasil, a expectativa do torcedor do Paschoalotto Bauru é a formação do elenco para a temporada 2014/2015. Nesta quinta-feira (8), aconteceu uma reunião envolvendo diretoria, comissão técnica e jogadores. A primeira saída confirmada foi do ala Fernando Fischer, que após pouco mais de cinco anos, deixa equipe bauruense.

O próprio jogador anunciou sua saída através de sua página no facebook. Fernando Fischer aproveitou para agradecer a torcida pelo carinho e pelo acolhimento, acrescentando que Bauru tornou-se sua primeira casa. O "Gatilho de Ouro" deixa uma passagem vitoriosa, fechada com o título paulista desta temporada.

Em relação ao restante do elenco, sabe-se que quatro jogadores já estão confirmados para a próxima temporada, pois possuem contrato de longo prazo. São eles: os armadores Ricardo Fischer e Larry Taylor, o ala Gui Deodato e o pivô Murilo. Por meio de nota, a assessoria de imprensa está confirmando a permanência dos jovens Felipe Vezaro, Gabriel Oliveira e Gustavo Scaglia. Além de Fernando Fischer, também não permanecerão o armador Lucas Avelino,os alas/pivôs Andrezão e Jozimar Ayarza, além do pivô Lucas Tischer.

No final da transmissão entre Paschoalotto Bauru e Flamengo, Vítor Jacob admitiu o interesse da diretoria por alguns jogadores de ponta do basquete brasileiro. Um antigo sonho é o ala norte-americano Robert Day, que se desvinculou do Uberlândia: “Nós fazemos uma lista e em cima dela, trabalhamos e elencamos um plano A, B, de contratação. O Robert Day, sem dúvida nenhuma, é um grande jogador, quebrou seu vínculo com Uberlândia. Nós já conversamos com ele em duas oportunidades, dois anos seguidos, é um jogador que está na lista", acrescentou.

Outro nome que interessa é de Alex Garcia, do Brasília. Sua situação é um pouco mais complicada, uma vez que o atleta tem mais um ano de contrato com a equipe da Capital Federal, e seria necessário, o pagamento de multa rescisória, para defender o time bauruense na próxima temporada. Questionado sobre a possibilidade de contar com Alex Garcia, Vitinho Jacob, não escondeu o desejo de contar com este reforço: “O Alex está na nossa lista, é um dos nomes sim. Tem qualidade, liderança, seria um reforço e tanto”, ponderou.

Outro nome na lista de desejos da diretoria, é o do pivô Rafael Hettsheimeir, atualmente no Unicaja Málaga, da Espanha. Coincidência ou não, o Jornada Esportiva apurou que o atleta, que tem parentes em Bauru, está na “sem limites”, por estes dias. Na Rádio Auri Verde, Vitinho Jacob foi questionado se existe ou não o interesse do clube em contar com este reforço internacional: “A exemplo do Alex e do Robert Day, também é um jogador que interessa, é qualificado, de enorme potencial. Porém, não foi formalizada nenhuma proposta ao jogador”, resumiu.

CRESCIMENTO ALÉM DA QUADRA

Além dos nomes que podem chegar para a temporada 14/15, o Paschoalotto/Bauru busca se solidificar como uma das forças no basquete nacional, através do fortalecimento de sua base.

A intenção não é apenas formar equipe competitivas, no sub-17 e sub-19 - o que já vem acontecendo, desde a contratação do técnico André Germano. A formação de comissão técnica exclusivamente voltada para essas categorias, tem como objetivo começar a formar jogadores da região. Um dos entusiastas do projeto é o técnico da equipe principal, Jorge Guerra: " Eu e o Jhonathan Cintra (assistente técnico da base), vamos coordenar um projeto de levar sempre um técnico do principal, dois da base, e um atleta do principal e da base para visitar núcleos nas cidades de Jaú, Lençóis Paulista, Duartina, Botucatu, toda a região, assim como as escolas de Bauru. Vamos fazer clínicas, para em novembro, fazer uma seleção com os melhores dessa seletiva. Estamos pensando assim, nos próximos dois anos a gente precisa ter muito mais garotos nas categorias de base da região e de Bauru do que de fora. Hoje infelizmente o sub-17 tem que ter 80% de fora”, analisou.


Página Inicial